Português

Configurando um Family Office

A criação de um family office é um processo abrangente e personalizado para gerenciar e preservar a riqueza de famílias com alto patrimônio líquido. Envolve muito tempo e custos mais elevados, por isso requer um planejamento cuidadoso, tomada de decisões estratégicas e organização meticulosa. Aqui está um guia passo a passo para estabelecer um family office:

Etapa 1: Defina seus objetivos

Identificar metas

Descreva claramente o que você deseja alcançar com seu family office. Os objetivos comuns incluem:

  • Preservação da riqueza

  • Crescimento através de investimentos

  • Planejamento Imobiliário

  • Filantropia

  • Garantir privacidade e segurança aos familiares

Avalie as necessidades

Avalie os serviços específicos que sua família necessita, como gestão de investimentos, assessoria jurídica, planejamento tributário e serviços de concierge.

Etapa 2: avalie sua riqueza

Avalie os ativos totais da sua família para determinar se um family office é a maneira mais eficiente de administrar seu patrimônio. Normalmente, as famílias com ativos de US$ 100 milhões ou mais podem justificar os custos associados a um family office.

Etapa 3: Determine o tipo de Family Office

  • Single Family Office (SFO): Se as necessidades da sua família forem extensas e você preferir controle exclusivo, considere configurar um SFO.

  • Multi Family Office (MFO): Se você estiver aberto a compartilhar serviços com outras famílias para reduzir custos, um MFO pode ser adequado.

  • Hybrid Family Office (HFO): Combina elementos de SFO e MFO, fornecendo serviços personalizados com alguns benefícios de compartilhamento de custos.

Passo 4: Estabelecer Estruturas de Governança

Desenvolva uma Carta Familiar

Este documento descreve a visão, os valores e a missão da família para o family office, servindo como orientação para as gerações futuras. Normalmente inclui:

  • Os princípios e objetivos fundamentais que orientam a família e as suas estratégias de gestão de património.

  • Políticas de alto nível relativas à governança familiar e ao funcionamento do family office.

  • A abordagem da família à filantropia, à responsabilidade social e como desejam deixar um impacto duradouro.

  • Compromissos com o desenvolvimento e educação dos membros da família sobre gestão de patrimônio.

A carta da família é mais sobre o por que e o quê — é uma declaração de intenções e princípios que fornece uma base para a construção da estrutura de governança.

Crie uma estrutura de governança

Decidir sobre os processos de tomada de decisão, incluindo:

  • Quem estará envolvido nas decisões estratégicas?

  • Qual seria a estrutura de governança, como ter um conselho de família, uma equipe executiva e conselhos consultivos?

  • Quais seriam os papéis, responsabilidades e níveis de autoridade para todos os envolvidos no family office, desde membros da família até funcionários e consultores?

  • Que mecanismos de responsabilização serão utilizados para monitorizar o desempenho e fazer ajustes?

  • Como serão tomadas as decisões (inclusive aquelas que exigem consenso entre os familiares e quais podem ser tomadas pela equipe executiva)?

  • Como serão resolvidos os conflitos (seja através de mecanismos de mediação ou de arbitragem)?

  • Que políticas e diretrizes de gestão financeira serão construídas para gerir investimentos, gastos e riscos?

  • Como os membros da família serão educados sobre literacia financeira e competências de governação?

  • Como todas as partes interessadas serão atualizadas e envolvidas?

  • Como será feita a transição dos papéis de liderança dentro do family office?

  • Como serão envolvidas as futuras gerações da família?

  • Como serão geridas as atividades filantrópicas ou de caridade?

  • Como as informações familiares e financeiras confidenciais serão protegidas e assim por diante.

A estrutura de governança é mais sobre como gerenciar um family office e seu patrimônio, com foco na eficácia operacional, gestão de risco e garantir que o escritório funciona de maneira suave e eficiente.

Etapa 5: crie um plano de negócios

  • Serviços Esboços: Detalhe os serviços que seu family office fornecerá, com base nas necessidades e objetivos identificados.

  • Planejamento orçamentário: Estime os custos operacionais, incluindo pessoal, espaço de escritório e necessidades de tecnologia. Certifique-se de que os bens da sua família justifiquem essas despesas.

  • Projeções Financeiras: Desenvolver projeções financeiras para o escritório, considerando os custos versus os benefícios que ele proporcionará.

Etapa 6: Monte uma equipe profissional

  • Contratação de pessoal: Recrute profissionais experientes, incluindo um Diretor Financeiro (CFO), consultores de investimentos, especialistas fiscais e consultores jurídicos. Considere a necessidade de pessoal administrativo e de serviços pessoais.

  • Conselheiros Externos: Identifique áreas onde consultores externos podem ser necessários, como consultoria jurídica especializada ou oportunidades de investimento internacional.

Etapa 7: Desenvolver uma Declaração de Política de Investimento (IPS)

Elabore um IPS que descreva os objetivos de investimento da sua família, tolerância ao risco, alocação de ativos e diretrizes para a seleção de investimentos. Isso servirá como um roteiro para administrar o patrimônio da família.

  • Estrutura jurídica: Decida a estrutura jurídica do seu family office (por exemplo, LLC, trust e corporação) com a ajuda de especialistas jurídicos para garantir a proteção de ativos e a eficiência operacional.

  • Conformidade regulatória: Garanta a conformidade com todas as regulamentações financeiras e legais relevantes, incluindo as regulamentações da SEC, se o seu family office for gerenciar investimentos.

Etapa 9: Implementar soluções tecnológicas

  • Investir em Tecnologia: Adote software de gestão financeira, medidas de segurança cibernética e ferramentas de comunicação para apoiar a operação eficiente do seu family office.

Passo 10: Desenvolver estratégias de investimento

  • Alocação de ativos: Desenvolva uma estratégia de investimento diversificada que se alinhe com a tolerância ao risco e os objetivos de crescimento da sua família.

  • Gerenciamento de riscos: implemente práticas de gerenciamento de riscos para proteger os ativos de sua família contra a volatilidade do mercado e outros riscos financeiros.

Etapa 11: Implementar estratégias de gestão de patrimônio

Com sua equipe formada e seu IPS como guia, comece a gerenciar ativamente o patrimônio de sua família. Isso inclui gestão de investimentos, planejamento tributário, planejamento patrimonial e atendimento de quaisquer necessidades específicas descritas em seus objetivos.

Etapa 12: configurar esforços filantrópicos

Se a filantropia for um objectivo central, estabeleça estruturas para doações de caridade, tais como fundações privadas ou fundos aconselhados por doadores. Defina seus objetivos filantrópicos e como eles se alinham aos valores de sua família.

Etapa 13: Plano de Sucessão

Desenvolva um plano de sucessão claro para garantir transições suaves de riqueza e liderança dentro do family office. Isso inclui planejamento patrimonial, trustes e educação da próxima geração sobre gestão de patrimônio.

Passo 14: Estabelecer Mecanismos de Relatório e Avaliação

  • Acompanhamento de desempenho: Configure sistemas para monitorar o desempenho dos investimentos e a eficiência geral do family office.

  • Revisões Regulares: Agende revisões periódicas do desempenho do family office, incluindo auditorias financeiras e avaliações do alinhamento do escritório com as metas da família.

Conclusão

Estabelecer um family office é uma decisão estratégica que oferece inúmeros benefícios para a gestão do patrimônio e dos negócios de famílias com patrimônio líquido altíssimo. Seguindo as instruções passo a passo acima, você pode criar um family office que não apenas atenda às suas necessidades atuais de gestão financeira, mas também proteja seu legado para as gerações futuras.

Lembre-se de que a chave para um family office bem-sucedido reside em objetivos claros, uma governação forte, aconselhamento especializado e flexibilidade para se adaptar às novas circunstâncias. Ao embarcar nesta jornada, mantenha os valores da sua família no centro da sua tomada de decisão, garantindo que a sua estratégia de gestão de património reflete não apenas os objetivos financeiros, mas as aspirações mais amplas da sua família.

perguntas frequentes

Quanto patrimônio é necessário para abrir um family office?

Embora não haja um mínimo estrito, criar e operar um family office geralmente é rentável para famílias com ativos investíveis de pelo menos US$ 100 milhões. Para as IMFs, o limiar pode ser inferior devido aos custos partilhados.

Quais são os primeiros passos para configurar um family office?

Comece definindo os objetivos da sua família e o que você espera alcançar com um family office. Em seguida, avalie os ativos totais da sua família para garantir que um family office seja uma opção viável. Em seguida, decida o tipo (SFO ou MFO) e os serviços de que necessita.

Como escolho a jurisdição certa para meu family office?

Considere factores como a estabilidade política e económica da jurisdição, o ambiente jurídico e regulamentar, o regime fiscal e as protecções de privacidade. As jurisdições comuns incluem Suíça, Cingapura e alguns estados dos EUA, como Delaware.

Qual é a estrutura corporativa ideal para um family office?

A estrutura deve estar alinhada com os objetivos da sua família, considerações fiscais e requisitos regulatórios. As opções incluem trustes, sociedades de responsabilidade limitada (LLCs) ou parcerias. Consultar consultores jurídicos e financeiros é crucial.

Devo configurar meu family office como um Trust ou uma empresa privada?

A criação de um family office como um trust ou uma empresa privada depende de vários fatores, incluindo os objetivos da família, as necessidades de privacidade, as considerações fiscais e o nível de controle que desejam manter. Se a principal preocupação for a proteção de ativos, a privacidade e o planeamento de sucessão sem necessidade imediata de elevada liquidez, um trust poderá ser mais adequado. Os trustes são particularmente vantajosos para as famílias focadas na preservação do legado e na transferência de riqueza intergeracional, uma vez que os activos podem ser transferidos sem problemas para os beneficiários, sem passar por inventário. Por outro lado, se a família valoriza a flexibilidade, o controlo sobre investimentos e operações e potenciais vantagens fiscais, a criação de uma empresa privada pode ser o caminho preferido. Isto é especialmente relevante para as famílias ativamente envolvidas em atividades empresariais ou para aquelas que preferem a gestão direta dos seus ativos.

Como monto uma equipe para meu family office?

Identifique as competências essenciais necessárias, como gestão de investimentos, jurídico, planejamento tributário e planejamento patrimonial. Você pode contratar profissionais internos e/ou terceirizar determinadas funções para empresas especializadas.

Quais são as principais considerações para governança em um family office?

Estabelecer estruturas de governação claras que definam os processos, funções e responsabilidades de tomada de decisão. Isto pode incluir a formação de um conselho de família e o desenvolvimento de políticas para investimentos, planeamento de sucessão e resolução de conflitos.

Como posso garantir a sustentabilidade do meu family office?

Concentre-se no planejamento estratégico de longo prazo, incluindo planejamento de sucessão, revisões financeiras regulares e adaptação às mudanças nas necessidades familiares. Além disso, invista na educação das gerações futuras sobre gestão e governança de patrimônio.

Quais são os principais desafios na gestão de um family office?

Os desafios incluem alinhar os interesses familiares, gerir custos, navegar por leis e regulamentos fiscais complexos, garantir privacidade e segurança e tomar decisões estratégicas de investimento.

Como os family offices lidam com a conformidade regulatória?

As estratégias de compliance dependem da jurisdição e dos serviços oferecidos. Os family offices podem precisar navegar pelas regulamentações financeiras, leis tributárias e requisitos de relatórios, muitas vezes com a ajuda de consultores jurídicos e financeiros especializados.

Que infraestrutura tecnológica é necessária para um family office?

Uma infraestrutura tecnológica robusta é crucial para a gestão eficaz e a segurança das operações dos family offices. Isto inclui software avançado para gestão de carteiras, gestão de riscos e relatórios financeiros. Devem também ser implementadas medidas de segurança para proteger informações e ativos sensíveis contra ameaças cibernéticas.

Como um family office deve abordar a gestão de investimentos?

A gestão de investimentos num family office deve começar com uma compreensão clara dos objetivos financeiros de longo prazo da família e da tolerância ao risco. Muitas vezes envolve uma abordagem diversificada em múltiplas classes de ativos para equilibrar os retornos potenciais com a gestão de risco. Também é vital rever e ajustar regularmente a estratégia de investimento em resposta às mudanças do mercado e aos objectivos familiares.

Quais são os benefícios de ter um family office dedicado em comparação com o uso de outros serviços de gestão de patrimônio?

Um family office dedicado oferece gerenciamento personalizado e abrangente dos assuntos financeiros e pessoais de uma família. Ao contrário dos serviços tradicionais de gestão de património, um family office pode proporcionar maior personalização, privacidade e uma abordagem holística à gestão de património, estilo de vida e questões jurídicas e fiscais. Também garante que todas as ações estejam estreitamente alinhadas com os valores e necessidades específicas da família.

Páginas relacionadas